O Que é Motion Graphics?

 Você sabe o que é Motion Graphics?

O Motion Graphics pode ser traduzido como “Grafismo em Movimento” ou “Gráficos em Movimento”. Para ampliar este conceito podemos dizer que o Motion Graphics é a “manipulação de camadas de imagens temporizadas de todos os tipos”. Combina elementos criativos animados de tipografia, ilustração, fotografia, vídeo, 3D, formas e muitos outros, para contar uma história e dar vida à diferentes ideias. Assim, pode ser considerada uma linguagem híbrida que mistura as linguagens de cinema, animação e design gráfico.

O surgimento do Motion Graphics data da década de 50, quando artistas gráficos foram contratados para criar aberturas e créditos para grandes filmes, com a intenção de torná-los mais dinâmicos e com maior impacto visual. Dentre estes artistas pioneiros, encontra-se Saul Bass, que criou aberturas para filmes como The Man With The Golden Arm (1955);  Vertigo (1958), Anatomy of a Murder (1959), North by Northwest (1959), Psycho(1960), and Advise & Consent (1962).  John Whitney, que também participou da produção da abertura de Vertigo com Saul Bass, foi um dos primeiros a utilizar o termo, ao criar a Motion Graphics Inc.

The Title Design of Saul Bass

A história do Motion Graphics está diretamente ligada à computação gráfica e ao desenvolvimento tecnológico. O termo se popularizou com o livro Creating Motion Graphics de Trish e Chris Meyer, falando sobre o software Adobe After Effects. Este era o início dos aplicativos desktop de produção de vídeo, que não eram voltados para edição ou produção 3D. Estes aplicativos, adicionaram novos universos ao Motion Graphics, ao trazerem juntos Efeitos Visuais, Composição e Correção de Cor e se tornaram ferramentas utilizadas em meio ao processo de edição e 3D. Isso somado ao estilo visual das animações nestes softwares é o motivo porque muitas vezes são chamados de softwares 2.5 D.

Neste ambiente, o Motion Graphics (MG) evoluiu como uma forma de arte e incorporou outras linguagens e técnicas, como àquelas ligadas a produção 3D. E, apesar das tendências do MG estarem, historicamente, bastante ligadas ao desenvolvimento de softwares, o MG começou a mesclar outras técnicas, como colagem, animação em stop-motion e cel-animation.

 Os limites do Motion Graphics, são os limites da imaginação.

Toda esta evolução e contribuição de diversas áreas da produção audiovisual, conferem uma gama imensa de possibilidades dentro do universo do Motion Graphics. O profissional que viaja por estes universos possui um perfil misto, com inúmeros interesses e um conhecimento amplo.

 

O uso do Motion Graphics oferece vida à imagens estáticas

O uso de animações de elementos gráficos consegue ampliar o entendimento de mensagens e as deixa mais interessantes. Um ótimo exemplo da simplicidade que uma mensagem em forma de animação e motion graphics pode ter, são os GIFs. Eles podem se animações cativantes encapsuladas em poucos segundos e cumprem com a demanda, do público na internet, por mensagens cada vez mais curtas. Os GIFs fazem parte de uma categoria chamada de micro conteúdo e são otimizados para uso nas redes sociais, seja para usar numa página do Tumblr, um vídeo no Vine, um post no Instagram ou no Twitter. Aqui estão alguns exemplos destas possibilidades.

 

O Motion Graphics possui um amplo campo de atuação e pode contribuir com impacto visual, dinâmica e retenção do público à uma mensagem. Por isso, é uma grande ferramenta que pode ser utilizada na divulgação de uma ideia, produto, negócio ou startup.

Algumas referências para este artigo.

O que é Motion Graphics?

What is motion graphics

E ai, o que achou desta ferramenta? Deixe seu comentário sobre o assunto.

Adriano
Adriano
Publicitário, Motion Designer e Fundador do AEdicas.com
Tópicos Recomendados

Deixe um comentário

spacerkt003